sábado, 4 de julho de 2015

Hoje completa 1 ano que saí do Brasil com uma mala meio vazia e um coração cheio de esperanças...
Esperança de me encontrar em algum lugar ou quem sabe me perder completamente, esperança de viver momentos inesquecíveis, conhecer pessoas inesquecíveis.
















Eu não sabia o que me esperava, mas resolvi me doar por inteiro nessa nova etapa da minha vida. Há quem diga que fui corajosa, e olhando para trás, não ouso discordar. Foi coragem. Coragem de deixar o conhecido e partir pro total desconhecido sem certeza de nada, sem certeza de que tipo de pessoas eu estava indo morar com. Certeza se eu iria suprir minhas próprias expectativas.



E confesso pra vocês que saí do Brasil com o coração explodindo de vontade de novas aventuras, mas que em um ano quando olho para trás, não o fiz. Não como eu esperava, nao mergulhei totalmente de cabeça nessa etapa da minha vida que eu tanto desejava. Passei por alguns momentos difíceis, pra falar a verdade, momentos super difíceis. Tive que recomeçar nesse meio tempo. Chorei inúmeras vezes e em muitas delas arrumei minha mala decidida a abandonar tudo e voltar pra minha normal e segura vida. Me perguntei o que eu estava fazendo aqui e como me meti nessa...



Não tem como negar, momentos ruins existem sim, e são muitos. São milhares os momentos que você sente saudade da família, do aconchego da sua casa, do cheiro daquela comidinha caseira que só sua mãe sabe fazer, ou o colo acolhedor dela que lhe traria paz quando você tivesse um problema. Dos dias divertidos com os amigos, aqueles amigos verdadeiros, que quando você embarca nessa, infelizmente você não pode fazer truques de mágica e trazê-los na sua bagagem. Voce tem que dizer um indeciso "tchau" pra muitas coisas e pessoas na sua vida que você priorizava, que amava fazer, e que agora você se vê sem ou longe por um certo tempo.



Mas sabe de uma coisa? Olhando para trás, sem querer olhar, mas vejo que essa parte da minha vida, a qual eu mesma escolhi, me fez crescer, e que o ano de uma pessoa não pode ser feito apenas de momentos ruins. Existiram também os momentos das descobertas. Aquele momento que você se viu diante de um grande problema e no final quando tudo foi resolvido, você olhou no espelho e pensou: Eu não sabia que eu era capaz!



Houve aqueles que você riu tanto até fazer xixi na calça (literalmente aconteceu na noite de natal), ou aqueles que você  conheceu pessoas legais ou até mesmo o amor da sua vida (literalmente 10 meses juntos <3 ). Tem também o momento que você se ver entendendo um outro idioma, ou quando vê como os estrangeiros gostam do seu país, mesmo que pelos estereótipos, mas te faz feliz. E aquele que você vê neve pela primeira vez ?



É engraçado olhar pra trás e ver da sua lista de esperanças as coisas que você conseguiu fazer e risca-las de lá, e as que você ainda não fez... Hm! E quem disse que eu não posso fazê-las ainda ? que venha mais um ano dessa experiência maluca e que eu possa voltar aqui e dizer pra vocês, que não importa o quão difícil será as vezes, mas olhe para trás e conte quantas coisas você conseguiu ganhar dessa sua escolha e se sua resposta for "uma", apenas "uma", mesmo assim valeu a pena! Você ganhou algo disso tudo ;)

E nesse dia que completo 1 ano de andarilha na Europa quero parabenizar todas nós, au pairs, que chegamos até aqui! Mais uma etapa, uma fase completada, um desafio cumprido. Quando vejo a Radira de um ano atrás, a menina com o coração pulsante, e por mais que o ano perfeito não tenha existido, ou nem perto disso, mas me sinto feliz de ver meu progresso e de ter crescido o que eu não cresceria nem com 10 anos na minha vida antiga.


Eu sei que todas nós, au pairs, buscamos algo quando aceitamos entrar nessa. Seja lá o que for, podemos nos orgulhar sim de sermos corajosas. E não deixe que ninguém, ou até mesmo você próprio diga o contrário.

Feliz dia da au pair \o/ que não é apenas um dia específico, mas cada dia vivido por nós dessa maluca experiência :D

    Beijos!



18:28 Radira Araújo
Hoje completa 1 ano que saí do Brasil com uma mala meio vazia e um coração cheio de esperanças...
Esperança de me encontrar em algum lugar ou quem sabe me perder completamente, esperança de viver momentos inesquecíveis, conhecer pessoas inesquecíveis.
















Eu não sabia o que me esperava, mas resolvi me doar por inteiro nessa nova etapa da minha vida. Há quem diga que fui corajosa, e olhando para trás, não ouso discordar. Foi coragem. Coragem de deixar o conhecido e partir pro total desconhecido sem certeza de nada, sem certeza de que tipo de pessoas eu estava indo morar com. Certeza se eu iria suprir minhas próprias expectativas.



E confesso pra vocês que saí do Brasil com o coração explodindo de vontade de novas aventuras, mas que em um ano quando olho para trás, não o fiz. Não como eu esperava, nao mergulhei totalmente de cabeça nessa etapa da minha vida que eu tanto desejava. Passei por alguns momentos difíceis, pra falar a verdade, momentos super difíceis. Tive que recomeçar nesse meio tempo. Chorei inúmeras vezes e em muitas delas arrumei minha mala decidida a abandonar tudo e voltar pra minha normal e segura vida. Me perguntei o que eu estava fazendo aqui e como me meti nessa...



Não tem como negar, momentos ruins existem sim, e são muitos. São milhares os momentos que você sente saudade da família, do aconchego da sua casa, do cheiro daquela comidinha caseira que só sua mãe sabe fazer, ou o colo acolhedor dela que lhe traria paz quando você tivesse um problema. Dos dias divertidos com os amigos, aqueles amigos verdadeiros, que quando você embarca nessa, infelizmente você não pode fazer truques de mágica e trazê-los na sua bagagem. Voce tem que dizer um indeciso "tchau" pra muitas coisas e pessoas na sua vida que você priorizava, que amava fazer, e que agora você se vê sem ou longe por um certo tempo.



Mas sabe de uma coisa? Olhando para trás, sem querer olhar, mas vejo que essa parte da minha vida, a qual eu mesma escolhi, me fez crescer, e que o ano de uma pessoa não pode ser feito apenas de momentos ruins. Existiram também os momentos das descobertas. Aquele momento que você se viu diante de um grande problema e no final quando tudo foi resolvido, você olhou no espelho e pensou: Eu não sabia que eu era capaz!



Houve aqueles que você riu tanto até fazer xixi na calça (literalmente aconteceu na noite de natal), ou aqueles que você  conheceu pessoas legais ou até mesmo o amor da sua vida (literalmente 10 meses juntos <3 ). Tem também o momento que você se ver entendendo um outro idioma, ou quando vê como os estrangeiros gostam do seu país, mesmo que pelos estereótipos, mas te faz feliz. E aquele que você vê neve pela primeira vez ?



É engraçado olhar pra trás e ver da sua lista de esperanças as coisas que você conseguiu fazer e risca-las de lá, e as que você ainda não fez... Hm! E quem disse que eu não posso fazê-las ainda ? que venha mais um ano dessa experiência maluca e que eu possa voltar aqui e dizer pra vocês, que não importa o quão difícil será as vezes, mas olhe para trás e conte quantas coisas você conseguiu ganhar dessa sua escolha e se sua resposta for "uma", apenas "uma", mesmo assim valeu a pena! Você ganhou algo disso tudo ;)

E nesse dia que completo 1 ano de andarilha na Europa quero parabenizar todas nós, au pairs, que chegamos até aqui! Mais uma etapa, uma fase completada, um desafio cumprido. Quando vejo a Radira de um ano atrás, a menina com o coração pulsante, e por mais que o ano perfeito não tenha existido, ou nem perto disso, mas me sinto feliz de ver meu progresso e de ter crescido o que eu não cresceria nem com 10 anos na minha vida antiga.


Eu sei que todas nós, au pairs, buscamos algo quando aceitamos entrar nessa. Seja lá o que for, podemos nos orgulhar sim de sermos corajosas. E não deixe que ninguém, ou até mesmo você próprio diga o contrário.

Feliz dia da au pair \o/ que não é apenas um dia específico, mas cada dia vivido por nós dessa maluca experiência :D

    Beijos!



terça-feira, 23 de junho de 2015

"Essa é mais uma história normal e feliz de mais um visto auperiano."
Isso eh o que eu diria se eu nao me chamasse Radira!

Bom, depois do "pequeno" sufoco vivido na ex host family, virei mais criterosa para escolhar a futura familia hospedeira. E depois de tanto escolher e me mudar para a nova aventura, ainda hesitei bastante antes de tomar a decisão do processo do visto. Isso porque no fundo ainda estava um pouco receosa de estar errando novamente. E quase todos os dias minha host me perguntava se eu já havia preenchido minha parte do contrato, e sempre era uma desculpa. Até que resolvi falar a verdade para ela e que eu estava um pouco balançada e só precisava de alguns dias para pensar. De inico foi a cara de surpresa e depois as palavras de conforto e entendimento. Ela compreendeu meus motivos, ok, good. 

Só que nessa brincadeira de fica ou não  fica, acabei dando entrada no processo do visto quase dois meses depois que eu já estava aqui, 24 de fevereiro. Nisso, eu já sabia que o processo para receber um visto de au pair na Dinamarca dura em torno de 2 ou mais meses e eu tinha uma ticket pra visitar o Brasil 02 de junho, o que me deixou um pouco preocupada, pois não queria sair de férias  sem ter a certeza do meu visto em mãos.

Eis que faltando 1 semana para completar 2 meses de processo, recebo uma carta da migração pedindo pra eu tirar minha foto e digitais dentro de duas semanas para completar o pedido do visto, e se eu não o fizesse dentro desse prazo, seria bye bye Dinamarca.
Então mais que depressa, arrumei meus documentos e a carta que recebi e fui rumo a completar essa etapa, super ansiosa para que tudo se resolvesse e eu pudesse fazer minha trip pro Brasil.

Na carta dizia que se não morasse na capital, poderia procurar a polícia mais próxima e tirar a biometria. Então optei pela opção da polícia.
Processo fácil e rápido, exceto pela porta do prédio  que eu não conseguia abrir de maneira alguma e precisei de ajuda -.-

Pronto, so me restava esperar. Mas se passaram 1, 2, 3 semanas e nada de nada, até que estava na casa do meu namorado e recebo uma mensagem da minha host dizendo que chegou uma carta da migração negando meu visto e alegando que eu não tinha ido tirar minha biometria, por isso deveria sair do país o mais rápido possível ou estaria como ilegal e podendo causar prejuízos maiores caso eu desobedesse. Cara de perplexa 0.0 Como assim?! Eu havia feito tudo como eles me pediram. Mas foi daí que descobrimos que a polícia havia perdido meus dados e a migracao nunca tinha recebido isso e nem sabiam do ocorrido.
Tentamos resolver o mais depressa possível, e provar que eu estive na polícia  dentro do prazo. 

Depois de alguns dias de tensão, a polícia achou minha biometria e enviou para o departamento de imigração em Copenhagen. Com tudo provado, eles aceitaram o pedido para reabrir meu caso.
E apesar dos imprevistos e correrias, no final meu lindo visto chegou :) Ufa!!

Ps.: E minha viagem ao Brasil foi adiada, pois precisei ficar para resolver tudo :-/
Mas sendo positiva, pelo menos o caso visto foi resolvido ;)



E aqui o verão chegando de mansinho na querida Dinamarca :)



04:15 Radira Araújo
"Essa é mais uma história normal e feliz de mais um visto auperiano."
Isso eh o que eu diria se eu nao me chamasse Radira!

Bom, depois do "pequeno" sufoco vivido na ex host family, virei mais criterosa para escolhar a futura familia hospedeira. E depois de tanto escolher e me mudar para a nova aventura, ainda hesitei bastante antes de tomar a decisão do processo do visto. Isso porque no fundo ainda estava um pouco receosa de estar errando novamente. E quase todos os dias minha host me perguntava se eu já havia preenchido minha parte do contrato, e sempre era uma desculpa. Até que resolvi falar a verdade para ela e que eu estava um pouco balançada e só precisava de alguns dias para pensar. De inico foi a cara de surpresa e depois as palavras de conforto e entendimento. Ela compreendeu meus motivos, ok, good. 

Só que nessa brincadeira de fica ou não  fica, acabei dando entrada no processo do visto quase dois meses depois que eu já estava aqui, 24 de fevereiro. Nisso, eu já sabia que o processo para receber um visto de au pair na Dinamarca dura em torno de 2 ou mais meses e eu tinha uma ticket pra visitar o Brasil 02 de junho, o que me deixou um pouco preocupada, pois não queria sair de férias  sem ter a certeza do meu visto em mãos.

Eis que faltando 1 semana para completar 2 meses de processo, recebo uma carta da migração pedindo pra eu tirar minha foto e digitais dentro de duas semanas para completar o pedido do visto, e se eu não o fizesse dentro desse prazo, seria bye bye Dinamarca.
Então mais que depressa, arrumei meus documentos e a carta que recebi e fui rumo a completar essa etapa, super ansiosa para que tudo se resolvesse e eu pudesse fazer minha trip pro Brasil.

Na carta dizia que se não morasse na capital, poderia procurar a polícia mais próxima e tirar a biometria. Então optei pela opção da polícia.
Processo fácil e rápido, exceto pela porta do prédio  que eu não conseguia abrir de maneira alguma e precisei de ajuda -.-

Pronto, so me restava esperar. Mas se passaram 1, 2, 3 semanas e nada de nada, até que estava na casa do meu namorado e recebo uma mensagem da minha host dizendo que chegou uma carta da migração negando meu visto e alegando que eu não tinha ido tirar minha biometria, por isso deveria sair do país o mais rápido possível ou estaria como ilegal e podendo causar prejuízos maiores caso eu desobedesse. Cara de perplexa 0.0 Como assim?! Eu havia feito tudo como eles me pediram. Mas foi daí que descobrimos que a polícia havia perdido meus dados e a migracao nunca tinha recebido isso e nem sabiam do ocorrido.
Tentamos resolver o mais depressa possível, e provar que eu estive na polícia  dentro do prazo. 

Depois de alguns dias de tensão, a polícia achou minha biometria e enviou para o departamento de imigração em Copenhagen. Com tudo provado, eles aceitaram o pedido para reabrir meu caso.
E apesar dos imprevistos e correrias, no final meu lindo visto chegou :) Ufa!!

Ps.: E minha viagem ao Brasil foi adiada, pois precisei ficar para resolver tudo :-/
Mas sendo positiva, pelo menos o caso visto foi resolvido ;)



E aqui o verão chegando de mansinho na querida Dinamarca :)



terça-feira, 26 de maio de 2015

... Mas o que você come aí ?

Então o assunto de hoje é comida :D e quem não gosta de falar em comida ? Eu amo! \o/ amo comer, amo cozinhar, amo falar sobre...

E conheço muitas pessoas que também gostam e sempre me perguntam o que se come aqui na Dina, apelido carinhoso pra Dinamarca, (mentira, é preguiça de escrever o nome completo). Enfim, muitos ficam até sem graça de fazer essa pergunta, por achar que seja boba, ou lógica, tipo, arroz e feijão, claro! Só que não, eles até comem feijão, mas não como o nosso jeito brasileiro.
O feijão aqui é meio doce, com um tipo de molho de tomate. O famoso feijão inglês, que normalmente, os dinamarqueses comem no café da manhã com bacon e ovos (também café inglês e apreciado pelos dinas). Na verdade por alguns, não é algo tão comum, pois tem aqueles sem graça que toda santa manhã só comem um cereal com leite magro.

Falando em comida gostosa tem um prato dinamarquês que passo mal comendo pra krlho haha um prato simples, mas mt yummy! São bolinhos de carne fritos com um molho marrom (não me pergunte o nome, sou péssima pra lembrar) que é feito com um caramelo sem sabor, apenas pra dar o tom bem "amarronzado" e batatas cozidas. As vezes os bolinhos de carne são substituídos por lombo de porco, que também fica muito bom :9

Em geral, os dinamarqueses comem muita salada, um tipo de carne e batata ou arroz acompanhando, as vezes pasta, outras vezes grão de bico cozido. Enfim, eles gostam de variar o cardápio, o que eu acho um máximo, dai não cai na mesmice, e a hora da comida não vira uma obrigação, mas sim algo novo para se experimentar. E eles estão sempre abertos a comidas estrangeiras.

Ah, lembrando que estamos falando da janta que é a refeição principal aqui, porque no almoço o costume é um pão escuro com complementos em cima, como salmão, queijo, salsicha, patês, enfim, tem os brasileiros que chegam por aqui e não gostam, mas eu, particularmente, me satisfaço! (Aliás amo comer qualquer coisa).



Eles não comem sobremesa como fazemos no Brasil que é de praxe, aliás dificil o dia que esse povo resolvem experimentar algo mais gordo, digamos assim.
 Sinto falta das minhas gordices brasileiras D:

Falando em sobremesa lets talk about "lakrids" (alcaçuz), um doce bem apreciado pelos dinamarqueses e com um gosto estranho, meio salgado, um pouco doce, e um toque de azedo também. >< difícil de saber exatamente que gosto isso tem. E que quando experimentado por brasileiros saí umas caretas horríveis hahha as vezes consigo comer e até acho bom e outras não! Vai entender...

Lakrids


Ahh, outra coisita que eu adoro comer no café da manhã é o caviar em pasta. Na verdade, é algo comum na Suécia, mas como moro metade lá (pq namoro um sueco) e outra metade aqui na Dina, então é válido comentar :) Normalmente os suecos comem esse caviar com ovo no pão ou simplesmente só com o pão ou só com o ovo. Eu amo os três jeitos! Hmmm, yummy yummy! :D



Bom, resumão do que eles comem aqui e vou parar de escrever e correr ver o que tem na cozinha que a fome bateu hahah

Beijos :*
14:28 Radira Araújo
... Mas o que você come aí ?

Então o assunto de hoje é comida :D e quem não gosta de falar em comida ? Eu amo! \o/ amo comer, amo cozinhar, amo falar sobre...

E conheço muitas pessoas que também gostam e sempre me perguntam o que se come aqui na Dina, apelido carinhoso pra Dinamarca, (mentira, é preguiça de escrever o nome completo). Enfim, muitos ficam até sem graça de fazer essa pergunta, por achar que seja boba, ou lógica, tipo, arroz e feijão, claro! Só que não, eles até comem feijão, mas não como o nosso jeito brasileiro.
O feijão aqui é meio doce, com um tipo de molho de tomate. O famoso feijão inglês, que normalmente, os dinamarqueses comem no café da manhã com bacon e ovos (também café inglês e apreciado pelos dinas). Na verdade por alguns, não é algo tão comum, pois tem aqueles sem graça que toda santa manhã só comem um cereal com leite magro.

Falando em comida gostosa tem um prato dinamarquês que passo mal comendo pra krlho haha um prato simples, mas mt yummy! São bolinhos de carne fritos com um molho marrom (não me pergunte o nome, sou péssima pra lembrar) que é feito com um caramelo sem sabor, apenas pra dar o tom bem "amarronzado" e batatas cozidas. As vezes os bolinhos de carne são substituídos por lombo de porco, que também fica muito bom :9

Em geral, os dinamarqueses comem muita salada, um tipo de carne e batata ou arroz acompanhando, as vezes pasta, outras vezes grão de bico cozido. Enfim, eles gostam de variar o cardápio, o que eu acho um máximo, dai não cai na mesmice, e a hora da comida não vira uma obrigação, mas sim algo novo para se experimentar. E eles estão sempre abertos a comidas estrangeiras.

Ah, lembrando que estamos falando da janta que é a refeição principal aqui, porque no almoço o costume é um pão escuro com complementos em cima, como salmão, queijo, salsicha, patês, enfim, tem os brasileiros que chegam por aqui e não gostam, mas eu, particularmente, me satisfaço! (Aliás amo comer qualquer coisa).



Eles não comem sobremesa como fazemos no Brasil que é de praxe, aliás dificil o dia que esse povo resolvem experimentar algo mais gordo, digamos assim.
 Sinto falta das minhas gordices brasileiras D:

Falando em sobremesa lets talk about "lakrids" (alcaçuz), um doce bem apreciado pelos dinamarqueses e com um gosto estranho, meio salgado, um pouco doce, e um toque de azedo também. >< difícil de saber exatamente que gosto isso tem. E que quando experimentado por brasileiros saí umas caretas horríveis hahha as vezes consigo comer e até acho bom e outras não! Vai entender...

Lakrids


Ahh, outra coisita que eu adoro comer no café da manhã é o caviar em pasta. Na verdade, é algo comum na Suécia, mas como moro metade lá (pq namoro um sueco) e outra metade aqui na Dina, então é válido comentar :) Normalmente os suecos comem esse caviar com ovo no pão ou simplesmente só com o pão ou só com o ovo. Eu amo os três jeitos! Hmmm, yummy yummy! :D



Bom, resumão do que eles comem aqui e vou parar de escrever e correr ver o que tem na cozinha que a fome bateu hahah

Beijos :*
Oi, oi, pessoas! :D
Alguém ai querendo se aventurar como au pair na Europa ? 
Então vamos lá ler o post de hoje e se ligar nas informações pra se tornar uma au pair na Dinamarca.

- ter entre 17 e 29 anos
- não ser casado e não ter filhos
- ter uma base de dinamarquês, sueco, norueguês, inglês ou alemão.

Tem esses quesitos ? Então, é hora de encontrar sua host family e mão na massa, ou nos papéis! 

No site da migração dinamarquesa, você encontrará o contrato a ser impresso e sua host family deve começar preenchendo a parte dela e anexando os documentos solicitados, e em seguida te enviam o contrato para que você possa preencher sua parte e daí então ser enviado para a migração na Dinamarca.
E depois ? Depois é só esperar a resposta da aplicação.

Enquanto isso, vamos saber um pouco mais sobre sendo uma au pair na Dinamarca:

Uma au pair precisa trabalhar num máximo de 30 horas semanais e tem direito a 1 dia off por semana. Como já sabemos o trabalho de uma au pair consiste em fazer babysitter, limpeza light na casa, ajudar a cozinhar, passar e lavar roupas.
Porém, é muito comum encontrarmos na Dinamarca host families que procuram em uma au pair um trabalho bem mais voltado pra casa do que cuidados com as crianças. Em resumo, você será vista aqui mais como uma "faxineira", que significa limpeza pesada, nada de light. De qualquer maneira muitas au pairs acabam que gostando, por não terem tanta obrigação com as crianças. Sinceramente, não sei até onde isso é ou não bom.

E claro que não são todas assim, mas vamos generalizar, a maioria das familias hospedeiras se encaixam nesse fato.

O pocket money é DKK 3.300,00
E o curso de dinamarquês é free.

Então é isso, se você quer viver uma experiência européia e acha que um país viking seria uma boa escolha, com lindas paisagens e uma chuvosa primavera, não perca tempo, procure mais informações aqui e aqui ;D

(Inicio de primavera, flores por todos os lados (: )




Beijos!
04:56 Radira Araújo
Oi, oi, pessoas! :D
Alguém ai querendo se aventurar como au pair na Europa ? 
Então vamos lá ler o post de hoje e se ligar nas informações pra se tornar uma au pair na Dinamarca.

- ter entre 17 e 29 anos
- não ser casado e não ter filhos
- ter uma base de dinamarquês, sueco, norueguês, inglês ou alemão.

Tem esses quesitos ? Então, é hora de encontrar sua host family e mão na massa, ou nos papéis! 

No site da migração dinamarquesa, você encontrará o contrato a ser impresso e sua host family deve começar preenchendo a parte dela e anexando os documentos solicitados, e em seguida te enviam o contrato para que você possa preencher sua parte e daí então ser enviado para a migração na Dinamarca.
E depois ? Depois é só esperar a resposta da aplicação.

Enquanto isso, vamos saber um pouco mais sobre sendo uma au pair na Dinamarca:

Uma au pair precisa trabalhar num máximo de 30 horas semanais e tem direito a 1 dia off por semana. Como já sabemos o trabalho de uma au pair consiste em fazer babysitter, limpeza light na casa, ajudar a cozinhar, passar e lavar roupas.
Porém, é muito comum encontrarmos na Dinamarca host families que procuram em uma au pair um trabalho bem mais voltado pra casa do que cuidados com as crianças. Em resumo, você será vista aqui mais como uma "faxineira", que significa limpeza pesada, nada de light. De qualquer maneira muitas au pairs acabam que gostando, por não terem tanta obrigação com as crianças. Sinceramente, não sei até onde isso é ou não bom.

E claro que não são todas assim, mas vamos generalizar, a maioria das familias hospedeiras se encaixam nesse fato.

O pocket money é DKK 3.300,00
E o curso de dinamarquês é free.

Então é isso, se você quer viver uma experiência européia e acha que um país viking seria uma boa escolha, com lindas paisagens e uma chuvosa primavera, não perca tempo, procure mais informações aqui e aqui ;D

(Inicio de primavera, flores por todos os lados (: )




Beijos!

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Wow, me sinto até que um pouco nostálgica voltando a escrever, e triste comigo mesma por ter largado o blog de mão. O maior intuito dele, quando comecei a escrever, era exatamente ajudar as outras au pairs, então me sinto em falta com vocês por não ter continuado, principalmente porque mesmo depois de meses sem postar, ainda recebo mensagens de vocês com dúvidas sobre o processo ou, simplesmente, pedindo para não parar porque gostam de lê-lo. 
Mas é que agora retornei :D (palmas, ou não) e antes de seguir quero fazer um resumo das coisas que se passaram e olha que foram muitas, um turbilhão de acontecimentos.
Parei quando eu ainda estava na Suécia, e na verdade, deveria estar lá ainda já que meu processo só terminaria em julho desse ano. Maaaas, tive o rematch, gente. Não foi por falta de tentar e conversar que eu não continue naquela host family. Enfim, muitaaaas coisas aconteceram que me fizeram desistir deles. Saí de lá em dezembro, e eu tinha mais seis meses para viver na Suécia (já que vcs sabem que o visto lá é de apenas um ano), tive dificuldades de encontrar uma família para completar o intercâmbio por tão pouco tempo. Então, corri pra Dinamarca :) vizinha, foi de fácil acesso e au pair pode esperar na casa da host family enquanto a resposta do visto sai. Estou com essa nova familia há 5 meses e pra falar a verdade, ainda estou esperando minha resposta sair. Porque acabei dando entrada no visto muito tarde (culpa minha), até hoje minha host joga isso na minha cara hahahha
Estou programando um post explicando o processo aqui pra Dina pros au pairs que estejam querendo um país escandinavo como opção ;)
E outros posts com detalhes sobre o meu visto e meu dia-a-dia.
Ah, novidade que jurava que jah havia comentado, mas, realmente, faz tempão que não escrevo mesmo O.o estou namorando \o/ (coração super apaixonado). Ele é sueco, mora no sul e por esse motivo: finais de semana pra que te quero?! Quase todo weekend estou eu lá pra visita-lo ;)

Bom, agora que vcs estão, mais ou menos, a par de tudo outra vez, é só esperar os próximos posts que tem um monte informações vindo por aí.

Bjss!

Ps.: postando pelo celular, então desculpem-me pela má qualidade do texto ><

03:52 Radira Araújo
Wow, me sinto até que um pouco nostálgica voltando a escrever, e triste comigo mesma por ter largado o blog de mão. O maior intuito dele, quando comecei a escrever, era exatamente ajudar as outras au pairs, então me sinto em falta com vocês por não ter continuado, principalmente porque mesmo depois de meses sem postar, ainda recebo mensagens de vocês com dúvidas sobre o processo ou, simplesmente, pedindo para não parar porque gostam de lê-lo. 
Mas é que agora retornei :D (palmas, ou não) e antes de seguir quero fazer um resumo das coisas que se passaram e olha que foram muitas, um turbilhão de acontecimentos.
Parei quando eu ainda estava na Suécia, e na verdade, deveria estar lá ainda já que meu processo só terminaria em julho desse ano. Maaaas, tive o rematch, gente. Não foi por falta de tentar e conversar que eu não continue naquela host family. Enfim, muitaaaas coisas aconteceram que me fizeram desistir deles. Saí de lá em dezembro, e eu tinha mais seis meses para viver na Suécia (já que vcs sabem que o visto lá é de apenas um ano), tive dificuldades de encontrar uma família para completar o intercâmbio por tão pouco tempo. Então, corri pra Dinamarca :) vizinha, foi de fácil acesso e au pair pode esperar na casa da host family enquanto a resposta do visto sai. Estou com essa nova familia há 5 meses e pra falar a verdade, ainda estou esperando minha resposta sair. Porque acabei dando entrada no visto muito tarde (culpa minha), até hoje minha host joga isso na minha cara hahahha
Estou programando um post explicando o processo aqui pra Dina pros au pairs que estejam querendo um país escandinavo como opção ;)
E outros posts com detalhes sobre o meu visto e meu dia-a-dia.
Ah, novidade que jurava que jah havia comentado, mas, realmente, faz tempão que não escrevo mesmo O.o estou namorando \o/ (coração super apaixonado). Ele é sueco, mora no sul e por esse motivo: finais de semana pra que te quero?! Quase todo weekend estou eu lá pra visita-lo ;)

Bom, agora que vcs estão, mais ou menos, a par de tudo outra vez, é só esperar os próximos posts que tem um monte informações vindo por aí.

Bjss!

Ps.: postando pelo celular, então desculpem-me pela má qualidade do texto ><

quarta-feira, 13 de agosto de 2014


Oi... :-| hehe (Aquele ''oi'' tímido, sem graca, de quem ficou sumida e não dá as caras há uma eternidade)
Pois é, pessoas, eu até pensei em desativar o blog por mera preguiça de postar e não adianta falar que estava sem tempo -.- Na verdade, até fiquei algumas semanas na correria, mas nada que justifique ter largado o blog de mão! =X Então, mas como vejo que muitas pessoas ainda visitam ele, não achei justo parar do nada e não atualiza-lo bem na hora em que as pessoas mais querem e precisam saber... Que seria a experiência propriamente dita, então vamos lá xD

Meu último post foi falando sobre a PID, permissão internacional para dirigir... Pois bem, depois disso muitaaaaaaas coisas aconteceram. Viajei para a Suécia, cá estou eu completando 1 mês e 8 dias na minha nova vida, ehhh que mudança!! O lugar é lindo, tudo tão organizado *-* Mas a adaptação é difícil também, não imaginei que seria tanto hahah Como muitos sabem, eu vivo em uma fazenda, tudo mutio lindo por aqui, mas super calmo também lol Eu cheguei no verão com os hosts e kids de férias, então tinha muito trabalho pela frente, bem como passeios e tal. Fizemos alguns passeios super legais. Aliás sexta-feira passada fomos a Copenhagen, que fica há 1,30 daqui, mais ou menos, e me apaixonei por ela (: Mal vejo a hora de voltar lá haha. Em Estocolmo não fui ainda, estou com data marcada para o dia 07 de setembro, como fica beeem mais longe de onde eu estou, provavelmente, me usufruirei mais da capital da Dinamarca mesmo, tou odiando isso, sqn, hahahah

Em um restaurante em Copenhagen... Estou lá no fundinho parecendo um fantasma hahah Minhas kids e alguns amiguinhos deles.


Algumas coisitas aconteceram assim que cheguei, mas eu fiz um post pro Blog das 30 Au Pairs contando com mais detalhes, então não vejo necessidade de escrever de novo xD, então pra quem quiser saber como foram minhas 4 primeiras semanas, segue o link aqui!

Tentandoooo dominar um cavalo. Aqui na fazenda xD


Aquele velhinho ''montinho'' hahah As kids e as priminhas. Haja costa :X

Agora que vocês já sabem como está sendo, ficarei postando de acordo com o que for acontecendo, então não vou prometer datas certas para postar :P

Beijooos!! Dúvidas, só pergutarem ;)


09:57 Radira Araújo

Oi... :-| hehe (Aquele ''oi'' tímido, sem graca, de quem ficou sumida e não dá as caras há uma eternidade)
Pois é, pessoas, eu até pensei em desativar o blog por mera preguiça de postar e não adianta falar que estava sem tempo -.- Na verdade, até fiquei algumas semanas na correria, mas nada que justifique ter largado o blog de mão! =X Então, mas como vejo que muitas pessoas ainda visitam ele, não achei justo parar do nada e não atualiza-lo bem na hora em que as pessoas mais querem e precisam saber... Que seria a experiência propriamente dita, então vamos lá xD

Meu último post foi falando sobre a PID, permissão internacional para dirigir... Pois bem, depois disso muitaaaaaaas coisas aconteceram. Viajei para a Suécia, cá estou eu completando 1 mês e 8 dias na minha nova vida, ehhh que mudança!! O lugar é lindo, tudo tão organizado *-* Mas a adaptação é difícil também, não imaginei que seria tanto hahah Como muitos sabem, eu vivo em uma fazenda, tudo mutio lindo por aqui, mas super calmo também lol Eu cheguei no verão com os hosts e kids de férias, então tinha muito trabalho pela frente, bem como passeios e tal. Fizemos alguns passeios super legais. Aliás sexta-feira passada fomos a Copenhagen, que fica há 1,30 daqui, mais ou menos, e me apaixonei por ela (: Mal vejo a hora de voltar lá haha. Em Estocolmo não fui ainda, estou com data marcada para o dia 07 de setembro, como fica beeem mais longe de onde eu estou, provavelmente, me usufruirei mais da capital da Dinamarca mesmo, tou odiando isso, sqn, hahahah

Em um restaurante em Copenhagen... Estou lá no fundinho parecendo um fantasma hahah Minhas kids e alguns amiguinhos deles.


Algumas coisitas aconteceram assim que cheguei, mas eu fiz um post pro Blog das 30 Au Pairs contando com mais detalhes, então não vejo necessidade de escrever de novo xD, então pra quem quiser saber como foram minhas 4 primeiras semanas, segue o link aqui!

Tentandoooo dominar um cavalo. Aqui na fazenda xD


Aquele velhinho ''montinho'' hahah As kids e as priminhas. Haja costa :X

Agora que vocês já sabem como está sendo, ficarei postando de acordo com o que for acontecendo, então não vou prometer datas certas para postar :P

Beijooos!! Dúvidas, só pergutarem ;)


quarta-feira, 4 de junho de 2014

Antes de começar a explicar o assunto principal do título, devo algum esclarecimento sobre o meu blog ter ficado fora do ar por alguns dias: eu também não sei o que aconteceu =/ Simplesmente eu não estava mais recebendo visitas e algumas pessoas foram me questionar no face o porquê disso está ocorrendo. Tentei ver em suas configurações, mas realmente não encontrei o problema. Eis que hoje o bonito resolve voltar a receber visitas xD menos mal. Talvez ele tenha vida própria, só não entendi essa revolta já que eu o trato com tanto carinho :-P



Mas agora vamos lá! 
Recentemente dei entrada na minha PID (Permissão Internacional para Dirigir), que nada mais é que uma tradução da nossa carta de motorista. Como sabemos, a nossa CNH (Carteira Nacional de Habilitação) por si só não supre a nossa necessidade de conduzir um carro fora do nosso país. Então o procedimento é, está com a sua CNH definitiva em mãos, ou a PPD (Permissão Para Dirigir), que é a provisória válida por um ano, e se dirigir literalmente ao Detran (Departamento Estadual de Trânsito) mania de explicar as siglas de sua cidade para dar entrada na PID. 

Eles irão cobrar um valor que irá depender do Estado onde você mora. Por exemplo, aqui no RN (Rio Grande do Nor... tá, parei .-.) o valor pago por mim foi de R$ 67,00.
E então o atendente irá apenas confirmar seus dados e dados para a entrega, irá precisar de um comprovante de endereço, e imprimir um boleto onde você pagará no local indicado mais próximo e depois retornará ao Detran com o comprovante de pagamento, comprovante de endereço e se minha memória não falha o RG também para serem escaneados. 

Após isso, só esperar o prazo de 05 dias úteis para receber em sua casa pelos correios :) Creio que o prazo de entrega também depende de cada Estado. Mas o importante é que esse procedimento é tranquilo, fora a questão de ter que abrir mão para mais um gasto haha.

                                  E depois é só alegria, igual nos filmes norte-americanos. Sqñ! haha


Dúvida vista em alguns grupos do facebook:
O que o pessoal mais pergunta é ''por quanto tempo será válida nossa PID?''. Então, como ela é uma tradução da nossa CNH, logo ela terá a mesma validade desta. Por isso quem está indo com a provisória, é bom tomar o cuidado de tira-la bem próximo ao seu processo de au pair, para, assim, coincidirem as datas e não ter a dor de cabeça de mais um 'brema' para resolver. Mas nem tudo está perdido, caso isso aconteça, você se programa para fazer uma procuração e deixar que alguém resolva isso por você quando já não estiver mais em terras tupiniquins xD

Lembrado que não sou eu quem está dizendo, tirei essa dúvida com o pessoal do Detran para trazer aqui no blog para vocês e eles disseram que poderia, sim, ser feita a troca da PPD para a CNH através de uma procuração. Menos mal².
Bom, é até onde eu sei, porque fiquei sabendo por terceiros que a validade da PID irá depender das regras em alguns países.

Mas numa síntese, esse é o procedimento para solicitar sua PID =D

Beijos!
09:38 Radira Araújo
Antes de começar a explicar o assunto principal do título, devo algum esclarecimento sobre o meu blog ter ficado fora do ar por alguns dias: eu também não sei o que aconteceu =/ Simplesmente eu não estava mais recebendo visitas e algumas pessoas foram me questionar no face o porquê disso está ocorrendo. Tentei ver em suas configurações, mas realmente não encontrei o problema. Eis que hoje o bonito resolve voltar a receber visitas xD menos mal. Talvez ele tenha vida própria, só não entendi essa revolta já que eu o trato com tanto carinho :-P



Mas agora vamos lá! 
Recentemente dei entrada na minha PID (Permissão Internacional para Dirigir), que nada mais é que uma tradução da nossa carta de motorista. Como sabemos, a nossa CNH (Carteira Nacional de Habilitação) por si só não supre a nossa necessidade de conduzir um carro fora do nosso país. Então o procedimento é, está com a sua CNH definitiva em mãos, ou a PPD (Permissão Para Dirigir), que é a provisória válida por um ano, e se dirigir literalmente ao Detran (Departamento Estadual de Trânsito) mania de explicar as siglas de sua cidade para dar entrada na PID. 

Eles irão cobrar um valor que irá depender do Estado onde você mora. Por exemplo, aqui no RN (Rio Grande do Nor... tá, parei .-.) o valor pago por mim foi de R$ 67,00.
E então o atendente irá apenas confirmar seus dados e dados para a entrega, irá precisar de um comprovante de endereço, e imprimir um boleto onde você pagará no local indicado mais próximo e depois retornará ao Detran com o comprovante de pagamento, comprovante de endereço e se minha memória não falha o RG também para serem escaneados. 

Após isso, só esperar o prazo de 05 dias úteis para receber em sua casa pelos correios :) Creio que o prazo de entrega também depende de cada Estado. Mas o importante é que esse procedimento é tranquilo, fora a questão de ter que abrir mão para mais um gasto haha.

                                  E depois é só alegria, igual nos filmes norte-americanos. Sqñ! haha


Dúvida vista em alguns grupos do facebook:
O que o pessoal mais pergunta é ''por quanto tempo será válida nossa PID?''. Então, como ela é uma tradução da nossa CNH, logo ela terá a mesma validade desta. Por isso quem está indo com a provisória, é bom tomar o cuidado de tira-la bem próximo ao seu processo de au pair, para, assim, coincidirem as datas e não ter a dor de cabeça de mais um 'brema' para resolver. Mas nem tudo está perdido, caso isso aconteça, você se programa para fazer uma procuração e deixar que alguém resolva isso por você quando já não estiver mais em terras tupiniquins xD

Lembrado que não sou eu quem está dizendo, tirei essa dúvida com o pessoal do Detran para trazer aqui no blog para vocês e eles disseram que poderia, sim, ser feita a troca da PPD para a CNH através de uma procuração. Menos mal².
Bom, é até onde eu sei, porque fiquei sabendo por terceiros que a validade da PID irá depender das regras em alguns países.

Mas numa síntese, esse é o procedimento para solicitar sua PID =D

Beijos!